Alfabetização Audiovisual Porto Alegre

“Uma das maneiras de invisibilizar as pessoas é não
mostrá-las. Não mostra, ninguém se lembra. Não
existe.”
Irene Santos

        O Programa de Alfabetização Audiovisual, no desenvolvimento de suas ações, homenageia personalidades significativas da cultura local e regional. São oportunidades para, além de expressar nosso reconhecimento ao trabalho dessas/desses artistas, levar seus trabalhos para o mundo da escola e para o conhecimento de nossas alunas e alunos.

        Nesta edição do Mais Cinema, temos a honra e o prazer de homenagear Irene Santos, fotógrafa, historiadora, pesquisadora e ativista que, com seu trabalho, povoa com imagens nossa história e visibiliza a presença negra.

        Irene nasceu em Porto Alegre em 1947. Formada em história pela UFRGS e apaixonada por cultura, revelou-se uma fotógrafa de olho apurado e ideias ousadas. Nos anos 1970, trabalhou no setor de fotolito da gráfica do Banrisul e nos finais de semana empunhava suas lentes cobrindo shows e peças de teatro. Depois de vencer o concurso da 1ª Bienal de Fotografia Ecológica, em 1979, deixou seu trabalho no banco e dedicou-se exclusivamente à sua arte. Direcionou seu olhar para mudar a mentalidade dominante e colocou a cultura afro-brasileira no centro de seus quadros; não apenas como fotógrafa, mas também como pesquisadora. A importância do seu trabalho pode ser conferida nos seus livros Negro em Preto e Branco – História fotográfica da população negra de Porto Alegre (vencedor da categoria especial do Prêmio Açorianos de Literatura, em 2006) e Colonos e Quilombolas – Memória fotográfica das Colônias Africanas de Porto Alegre, de 2010. Em 2014, lançou o webdocumentário Outros Carnavais – Memória do carnaval de Rua de Porto Alegre, 1930-1969. Seu mais novo projeto é Um Mergulho por Mares Ainda Não Navegados, longa-metragem documental em fase de produção, com o objetivo de evidenciar as trajetórias da atriz e cantora Luiza Maranhão e da cineasta Camila de Moraes.

Principais exposições:
1986 – Dramática, retrato de atriz – Theatro São Pedro – Porto Alegre;
1988 – Solilóquio – Salas Negras – Museu de Arte do Rio Grande do Sul – Porto Alegre;
1991 – Arcanos Imaginários – Casa de Cultura Mário Quintana – Porto Alegre;
1994 – Quimeras – Theatro São Pedro – Porto Alegre;
2007 – Iyalondês – Museu de Arte do Rio Grande do Sul – Porto Alegre;
2010 – Bertoldo para sempre BRECHT – Casa de Teatro – Porto Alegre;
2016 – Fotógrafa convidada: Mostra internacional Mosaicografia Largo Glênio Peres – Porto Alegre;
2018 – Artista convidada: Travessias Contemporâneas ao Sul do Atlântico – Caminho das Artes – Porto Alegre.

Programa de Alfabetização Audiovisual

Em Porto Alegre, setembro de 2021.

“Uma das maneiras de invisibilizar as pessoas é não
mostrá-las. Não mostra, ninguém se lembra. Não
existe.”
Irene Santos

        O Programa de Alfabetização Audiovisual, no desenvolvimento de suas ações, homenageia personalidades significativas da cultura local e regional. São oportunidades para, além de expressar nosso reconhecimento ao trabalho dessas/desses artistas, levar seus trabalhos para o mundo da escola e para o conhecimento de nossas alunas e alunos.

        Nesta edição do Mais Cinema, temos a honra e o prazer de homenagear Irene Santos, fotógrafa, historiadora, pesquisadora e ativista que, com seu trabalho, povoa com imagens nossa história e visibiliza a presença negra.

        Irene nasceu em Porto Alegre em 1947. Formada em história pela UFRGS e apaixonada por cultura, revelou-se uma fotógrafa de olho apurado e ideias ousadas. Nos anos 1970, trabalhou no setor de fotolito da gráfica do Banrisul e nos finais de semana empunhava suas lentes cobrindo shows e peças de teatro. Depois de vencer o concurso da 1ª Bienal de Fotografia Ecológica, em 1979, deixou seu trabalho no banco e dedicou-se exclusivamente à sua arte. Direcionou seu olhar para mudar a mentalidade dominante e colocou a cultura afro-brasileira no centro de seus quadros; não apenas como fotógrafa, mas também como pesquisadora. A importância do seu trabalho pode ser conferida nos seus livros Negro em Preto e Branco – História fotográfica da população negra de Porto Alegre (vencedor da categoria especial do Prêmio Açorianos de Literatura, em 2006) e Colonos e Quilombolas – Memória fotográfica das Colônias Africanas de Porto Alegre, de 2010. Em 2014, lançou o webdocumentário Outros Carnavais – Memória do carnaval de Rua de Porto Alegre, 1930-1969. Seu mais novo projeto é Um Mergulho por Mares Ainda Não Navegados, longa-metragem documental em fase de produção, com o objetivo de evidenciar as trajetórias da atriz e cantora Luiza Maranhão e da cineasta Camila de Moraes.

Principais exposições:
1986 – Dramática, retrato de atriz – Theatro São Pedro – Porto Alegre;
1988 – Solilóquio – Salas Negras – Museu de Arte do Rio Grande do Sul – Porto Alegre;
1991 – Arcanos Imaginários – Casa de Cultura Mário Quintana – Porto Alegre;
1994 – Quimeras – Theatro São Pedro – Porto Alegre;
2007 – Iyalondês – Museu de Arte do Rio Grande do Sul – Porto Alegre;
2010 – Bertoldo para sempre BRECHT – Casa de Teatro – Porto Alegre;
2016 – Fotógrafa convidada: Mostra internacional Mosaicografia Largo Glênio Peres – Porto Alegre;
2018 – Artista convidada: Travessias Contemporâneas ao Sul do Atlântico – Caminho das Artes – Porto Alegre.

Programa de Alfabetização Audiovisual
Em Porto Alegre, setembro de 2021.

Rolar para o topo